Por que será que ninguém pergunta se é admissível que dois bancos que beneficiaram de ajuda do Estado (BPI e BES) acabem de distribuir bónus generosos aos seus colaboradores, mesmo antes do fim do ano?

Anúncios