O Director de Informação da TVI dá uma entrevista no DN de hoje. Para que conste, e com um louvor ao sentido de crítica e de oportunidade de Júlio Magalhães, que diz abertamente o que muitos de nós (“cá em cima”) pensam, aqui fica este excerto da entrevista:

«A Manuela disse também que se lhe oferecessem 1 milhão de euros, saía da TVI. É um valor razoável para uma rescisão de contrato?

Não tenho nada que achar. A guerra não é comigo, é com a administração. São eles que têm que resolver esses assuntos. Sou director de informação, estou lá para fazer o trabalho que eu acho que deve ser feito, de forma séria, competente e honesta. De resto, as pessoas façam o que quiserem, ganhem o dinheiro que quiserem. Em Lisboa movimentam-se muitos milhões de euros. Eu tenho visto como é que, em Lisboa, se desperdiçam milhões de euros.

Essa dicotomia com Lisboa é em relação ao Porto?

Não, é ao resto do país. Vive-se em Lisboa de uma forma que não se vive no resto do país. Tenho assistido a coisas que não pensem existirem. Vive-se de milhões de euros, de jantaradas, de almoçaradas, de grandes festas e, sobretudo, de grandes negociatas. Vivemos num país demasiado centralista e demasiado centralizado».

Anúncios