Etiquetas

,

O Óscar de melhor realizador atribuído a Kathryn Bigelow é uma novidade, a que não deve ser alheio o facto de se comemorar, precisamente hoje, o dia internacional da mulher.

Apesar de ter realizado poucos filmes (e assim o prémio parecer mais “de carreira”), Kathryn Bigelow realizou um, pelo menos, que a minha memória reteve para sempre: Point Break ou Ruptura Explosiva, filme cheio de acção e boa música que narra as aventuras de uma quadrilha de surfistas marginais.

Também gostei do Óscar para melhor actriz confiado a Sandra Bullock pelo papel no bom filme Blind Side (Um Sonho Possível), a estrear em Portugal durante este mês. 

Em conclusão, nos Óscares 2010, foi um autêntico cherchez la femme… 🙂

p.s. não sei se é só dos meus olhos, mas os 58 anos de Kathryn Bigelow são uma inspiração para todas as cinquentonas deste mundo – que saúde… 😉

Anúncios