Apesar de o tempo não se mostrar de feição, quem é que ao pensar num fim de tarde de calor não associa imediatamente tal raciocínio, qual cão de Pavlov, a uma cervejinha gelada?

Claro que a brigada do reumático e do politicamente correcto logo ataca com os malefícios do álcool e da “barriguinha de cerveja” e o pensamento tão inocente logo se desvanece, qual espuma do fino ou imperial (conforme a região) acabada de sair da bica.

Vem este refrescante raciocínio a propósito desta notícia da Reuters, segundo a qual a Universidade da California divulgou os resultados de uma investigação que associa o consumo de cerveja à prevenção da osteoporose.

Nunca o termo “saúde” dos brindes me pareceu tão apropriado… 😉

Anúncios