O Público inicia hoje um novo ciclo com uma outra direcção: a saída de José Manuel Fernandes foi inevitável para atenuar a progressiva falta de rumo ou a excessiva insistência num rumo por mares revoltos.

Ainda assim, há que reconhecer por inteiro o mérito de JMF nos primeiros anos ao proceder a uma consolidação da redacção que parecia, à época, um autêntico saco de gatos.

À nova direcção deseja-se a maior felicidade e, sobretudo, que procure reencontrar o sentido da inovação jornalística sem perder a marca de água que sempre caracterizou o jornal – o rigor.

Anúncios