Porque é que nada nesta notícia me surpreende? E por que razão tenho a sensação – e não mais do que isso – que o reforço de votação bloquista vai a par com esta tendência?

Ausência de valores, materialismo (pais que não querem casar pela igreja mas fazem fila para inscrever os filhos em colégios católicos “chiques”), e mais do que tudo, a sensação de comodismo: se está tudo à mão, para quê complicar?

Há uns anos, ainda era “giro” tirar umas fotos no altar ou no adro da igreja, antes de seguir para a comezaina no solar “apalhaçado” mas, realmente, é muito mais cómodo seguir directo para o tacho sem passar pela casa de partida (tal como no Monopólio) – basta lá montar uma cabana e chamar o Conservador do Registo Civil – assim, “simplex” e sem direito a sermão.

Anúncios