A contratação de Cristiano Ronaldo pelo Real Madrid foi o prato forte dos últimos tempos na comunicação social, que fez questão de o servir em generosas doses diárias com as férias do jogador (primeiro em Los Angeles, depois no Algarve), a ida para Madrid e ontem a apoteose final, no estádio do clube.

Para além de estranhar os critérios jornalísticos que obrigaram a que os telejornais nacionais das 20 horas abrissem com directos de cerca de 30 minutos sobre o assunto, não posso deixar de registar os meus sentimentos ambivalentes sobre este assunto.

Se, por um lado, o patriotismo me obriga a lembrar que cerca de 80 mil adeptos (na sua maioria castelhanos) se curvaram perante o Rei Cristiano, por outro lado foi bizarro assistir, durante a conferência de imprensa que se seguiu, à intervenção de um tradutor (português/espanhol) sempre que Cristiano respondia em português a perguntas de jornalistas nacionais… 😉

Anúncios