Esta notícia do Público, de tão aguardada, já tardava: com a nova base operacional da Ryanair no Porto, creio que a cidade e a região Norte irão, progressivamente, libertar-se do “jugo imperalista” da Tap e da sua conduta monopolista.

O anúncio de possíveis rotas internas (Lisboa e Faro serão as óbvias) é também motivo de alegria, sobretudo para quem perde tempo e paciência à espera de aviões da Tap ou enfiado no Alfa durante cerca de 3 horas.

Anúncios