Começo por dizer que nunca gostei do Carnaval e que até desconfio da tendência inata dos machos “tugas” para se disfarçarem de mulheres – mas isso não é para aqui chamado…

Por essas e outras sempre fugi de festas e “corsos” carnavalescos, mas admito que com crianças em casa é mais difícil de escapar. Hoje, e a propósito de um almoço de anos de um grande Amigo, fui “obrigado” a enfiar uma peruca “punk” à semelhança da maioria dos convidados – grandes e pequenos – que, pelo menos, envergavam adereços capilares não menos exuberantes.

Dia bem passado, em boa companhia e um começo de reconciliação com o Carnaval, vivido de forma mais familiar.

Anúncios