Em cada ida a Lisboa é paragem obrigatória já que raras vezes a gastronomia (de inspiração alentejana) é tão bem tratada como aqui (e não sou apenas eu que o digo): das entradas (hoje, empadas de lebre e um bacalhau à braz que era um autêntico “revuelto” de bacalhau) às peças de resistência que tanto podem ir das migas de porco preto aos croquetes (deliciosos) ou pastéis de massa tenra.

Doçaria conventual alentejana e boa garrafeira completam o naipe de cartas de um dos melhores restaurantes de Lisboa, sem mais. O menos é o estacionamento, já que fica em pleno Chiado, na Rua do Alecrim. Por acaso e ao contrário do costume, o parque do Largo de Camões estava completo, mas lá se estacionou em lugar de parcómetro na Praça das Flores – perfeito!

Anúncios