Etiquetas

1rqmo5

O maior receio era a tentação de fazer um disco que soasse a GNR sem os restantes 2/3. Não se verificando essa ameaça, tudo de bom ou de mau seria de esperar, tanto mais que era a estreia a solo.

Afinal, soa bem e melhora com a continuação. Há originalidade nas letras (que continuam excelentes) e, para a música, foram recrutados os melhores – Alexandre Soares ou Rodrigo Leão, “to name a few”. E, uma vez por outra, parece-me que o ambiente “oriental” recreado é a natural sequela da obra-prima dos GNR – «Os homens não se querem bonitos».

Boa surpresa.

Anúncios